Polícia Civil esclarece furto de gado e recupera dois animais

As Delegacias de Campo do Brito, Macambira e São Domingos e a 2ª Divisão da Delegacia Regional de Lagarto esclareceram um crime de abigeato, ou furto de gado, que ocorreu na cidade de Lagarto no ano de 2018. Mesmo após dois anos da prática do delito, a suspeita Joselita da Conceição Pinto, 45, foi localizada em Campo do Brito. Dois dos seis animais foram recuperados na ação policial deflagrada na manhã dessa segunda-feira, 30.

De acordo com o delegado Matheus Cardillo, o crime foi praticado em outubro de 2018, quando foram furtados seis animais das raças Nelore e Tabapuã. A investida criminosa ocorreu em uma fazenda localizada no povoado Olhos D’Água, na zona rural da cidade de Lagarto. O furto ocorreu com uma Saveiro branca. Durante o crime, na fuga, uma mochila foi deixada para trás com diversos documentos de Joselita, incluindo RG e cartão de banco.

“A 2ª Divisão da Delegacia Regional de Lagarto havia iniciado investigações com o intuito de apurar a prática de abigeato em uma fazenda que abrange três cidades do estado de Sergipe. No curso das investigações, foram obtidas informações de que dois animais estariam em Campo do Brito. Desse modo, foram repassadas essas informações para a equipe policial da localidade, então se unificou as investigações e foi deflagrada a operação”, complementou.

Segundo o delegado Wilkson Vasco, com a unificação das investigações entre as unidades policiais e a realização de diversas diligências, dois dos animais furtados foram encontrados e recuperados, sendo devolvidos ao dono. O gado estava em uma fazenda no povoado Terra Vermelha, em Campo do Brito. O proprietário do local alegou que teria os adquirido “de boa fé”, mas confirmou que os conseguiu através de Joselita.

“Na manhã de 30 de novembro, após a unificação da investigação, foi deflagrada a fase da execução da investigação. Os animais foram recuperados no povoado Terra Vermelha, em Campo do Brito. Funcionários da fazenda foram junto aos policiais civis ao local, reconheceram os animais pela marcação, parecida com a letra ‘A’, e os animais foram devolvidos à vítima do abigeato”, ressaltou.

Ainda no decorrer da ação policial dessa segunda-feira, 30, quatro pessoas foram ouvidas, incluindo Joselita, suspeita do abigeato. A Polícia Civil destaca que a população pode contribuir com a elucidação de ações criminosas através do Disque-Denúncia, pelo telefone 181. O sigilo do denunciante é garantido.

Fonte: SSP-SE

Compartilhar Publicação