Aguarde, carregando...

Aguarde, carregando...

Prefeitura alerta sobre importância da vacina para prevenir doenças

Prefeitura alerta sobre importância da vacina para prevenir doenças

A vacina é uma das formas mais seguras para evitar doenças virais, a exemplo de sarampo e poliomielite. Esta proteção, tão importante em diversas fases da vida, está disponível gratuitamente nos serviços públicos do Sistema Único de Saúde (SUS), por meio do Programa Nacional de Imunizações do Brasil, reconhecido mundialmente.

Observar o filho levar aquela “picadinha” da injeção nos primeiros dias de vida, apesar do desconforto, mesmo em adultos, é de fundamental importância, para evitar, eliminar e controlar as doenças imunopreveníveis.

Neste sentido, a Prefeitura de Aracaju, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), aderiu às três campanhas de imunização que iniciaram no último dia 5 e se encerram no dia 30 de outubro.

Uma delas é a Campanha Nacional de Multivacinação, que atinge crianças e adolescentes até 15 anos, e que tem o objetivo de estimular a atualização da caderneta de vacinação.

“O intuito é intensificar a atualização da situação vacinal de crianças e adolescentes de até 15 anos. Os responsáveis devem comparecer às Unidades Básicas de Saúde com a caderneta da criança, o cartão de vacinação para que a equipe avalie se há ou não necessidade de realizar alguma vacina ou de dar continuidade a alguma que foi iniciada”, explica a coordenadora do Programa de Imunização da SMS, Ilziney Simões.

Poliomielite

A outra campanha é contra a poliomielite (paralisia infantil), que tem como público-alvo crianças de 1 ano a menores de 5 anos, que devem receber a Vacina Oral de Poliomielite (VOP), desde que já tenham recebido as três doses da Vacina Inativada de Poliomielite (VIP), do esquema básico de vacinação. Crianças menores de 1 ano (de 29 dias até 11 meses) deverão ser vacinadas seletivamente com a VIP, conforme as indicações do calendário nacional de vacinação.

De acordo com Ilziney, a meta é atingir 95% do público, ou 33 mil crianças em Aracaju. Até a manhã da última quinta-feira (15), 2.749 crianças haviam sido vacinadas, representando 8,27% do público, número considerado ainda baixo.

“A campanha contra a poliomielite é voltada para crianças de 1 a menor de 5 anos e a única das três campanhas, que têm meta a ser atingida. As crianças precisam estar com as doses de poliomielite em dia para receber essa vacina via oral. A gente sabe que a pólio não ocorre no Brasil desde a década de 90, mas, infelizmente, com as baixas coberturas acontecendo, há sempre um risco de acontecer uma reintrodução desse vírus no país, que ainda continua circulando em países asiáticos, como Paquistão e Afeganistão. Até o momento, 8,27%, ou 2.749 crianças foram vacinadas, número ainda muito baixo, infelizmente”, revela a coordenadora.

Poliomelite é uma doença contagiosa, provocada por vírus e caracterizada por paralisia súbita geralmente nas pernas. A transmissão ocorre pelo contato direto com pessoas ou contato com fezes de pessoas contaminadas, ou ainda contato com água e alimentos contaminados.

Sarampo

A terceira campanha é contra o sarampo, voltada para adultos na faixa etária de 20 a 49 anos. “A gente sabe que é uma doença que causa sequelas e pode levar a óbito. O vírus foi reintroduzido no país em 2018, por isso o Ministério da Saúde tem feito periodicamente campanhas contra o sarampo. Essas pessoas vão receber a dose de tríplice viral independentemente de estarem ou não com a situação vacinal em dia. Se elas não estão em dia ou desconhecem a situação vacinal porque perderam o cartão, elas devem se dirigir a uma unidade de saúde para que a equipe regularize. A última notificação de sarampo em Aracaju foi em 2019”, diz Ilziney.

O sarampo é uma doença muito contagiosa, causada por um vírus que provoca febre alta, tosse, coriza e manchas avermelhadas pelo corpo. É transmitida de pessoa para pessoa por tosse, espirro ou fala, especialmente em ambientes fechados. Facilita o aparecimento de doenças como a pneumonia e diarreias e pode levar à morte, principalmente em crianças pequenas.

Estrutura

A Saúde de Aracaju oferta 44 salas de vacinação, dispostas nas Unidades Básicas de Saúde (UBS). Porém, por causa da pandemia, quatro dessas UBS restringiram o atendimento para casos de síndromes gripais, e não estão vacinando, são as UBSs Geraldo Magela, Ministro Costa Cavalcante, José Conrado e Onésimo Pinto.

No momento, 40 Unidades estão com as salas de vacinação em funcionando de forma rotineira, das 8h às 16h30, exceto nas unidades que estão com horário de atendimento estendido, as UBSs Hugo Gurgel, Augusto franco, Francisco Fonseca, Fernando Sampaio, Dona Jovem, Max Carvalho, santa Terezinha, Antônio Alves, Manoel de Souza, Joaldo Barboza, Cândida Alves e José Calumby. Nestas Unidades, a sala de vacina funcionará até as 18h30.

“Se as pessoas tivessem a sensibilidade de sempre manter o cartão vacinal em dia, não precisaria de campanha. As campanhas só existem porque há procura vacinal baixa. Temos um calendário de vacinação bastante robusto, vacinas ofertadas ao público de forma gratuita, exemplo para o mundo inteiro”, conclui a coordenadora.

Fonte: Secom Aracaju 

Compartilhar Publicação