Prefeitura planeja festivais para exibir resultado da Lei Aldir Blanc

Com os recursos e projetos oriundos da execução da Lei Aldir Blanc, a Prefeitura de Aracaju, por meio da Fundação Cultural Cidade de Aracaju (Funcaju), está organizando a realização de festivais musicais, de audiovisual e de artes cênicas.

A partir da seleção de projetos via edital, a Funcaju o Município está contemplando praticamente toda a cadeia produtiva da arte em Aracaju, cumprindo, também, um papel social nesse momento de pandemia, em que muitas dessas atividades seguem paralisadas.

Presidente da Funcaju, Luciano Correia (Foto: Marcelle Cristinne)

“A cultura será, mais uma vez, um instrumento de harmonia e esperança neste momento tão difícil. Nada melhor do que a música para começar a espantar o baixo-astral trazido pela pandemia da covid 19”, afirma o presidente da Funcaju, Luciano Correia.

E por falar em música, no cronograma de aplicação da Lei Aldir Blanc para esse segmento, as ações já eram iniciadas em janeiro de 2021. Serão dois festivais com o objetivo de divulgar para a sociedade aracajuana os projetos, produtos e artistas selecionados pelo edital de auxílio emergencial, de diferentes estilos musicais.

O primeiro deles é o “Hoje tem Forró!”, que vai levar aos espaços turísticos da cidade música ao vivo com trios de pé de serra para animar esses ambientes e fortalecer a cultura e identidade locais. O outro é o Festival Itinerante de Barzinhos (FIB), que será realizado em parceria com estabelecimentos comerciais, como bares, pubs, cafés e restaurantes, cuja contrapartida consiste em ceder o espaço e estruturas para as apresentações.

Outros segmentos

A Funcaju também está preparando o Festival Audiovisual na Cidade. Durante a ação, serão apresentados 84 produções, que criarão uma espécie de cineclube tanto em espaços abertos quanto em salas de cinema, como explica o coordenador do Núcleo de Produção Digital Orlando Vieira (NPD), Anderson Passos.

“A ideia é reocupar os locais de lazer pela população, de forma segura e prazerosa, e estimular a reflexão cultural antes, durante e após as exibições dos filmes, além de democratizarmos alguns projetos no âmbito virtual”, destaca.

A Fundação também planeja realizar o Festival de Artes Cênicas de Aracaju (FAÇA), de modo a apresentar à sociedade as mais de 50 propostas selecionadas e premiadas pelo Município via Lei Aldir Blanc nesse segmento: serão mais de R$600 mil destinados aos artistas contemplados na categoria, cerca de 56,25% a mais da verba prevista inicialmente.

O montante contempla diversas etapas da cadeia produtiva, entre artistas, produtores, técnicos e elenco, através de espetáculos de teatro, dança, circo contemporâneo, circo tradicional, além de pesquisas, workshops e webinários. Tudo isso com o objetivo de promover a manutenção de grupos artísticos, além de estimular o debate sobre as Artes Cênicas, atingindo e beneficiando diretamente centenas de pessoas.

Todos os eventos serão realizados de acordo com os protocolos de segurança sanitários adotados e orientados pelos órgãos de saúde ao enfrentamento do novo coronavírus, conforme frisa o presidente da Funcaju, Luciano Correia.

“A pandemia ainda será uma preocupação constante durante um bom tempo, mas nós temos condições de planejar essas entregas com segurança e responsabilidade. Os artistas precisam receber os recursos e nós precisamos apresentar os resultados à sociedade.

Fonte: Secom

Compartilhar Publicação