Veja dicas para economizar nas despesas de início de ano

Com a chegada de um novo ano, há sempre os velhos gastos conhecidos: IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano), IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores), além das matrículas e materiais escolares. Segundo o consultor financeiro, Márcio Souza, é preciso um planejamento financeiro rigoroso a médio e longo prazo para evitar dores de cabeça e não começar o ano no vermelho.

“As pessoas precisam entender que esses gastos adicionais são previsíveis”, diz logo de início o consultor Márcio Souza (Foto: arquivo pessoal)

“As pessoas precisam entender que esses gastos adicionais são previsíveis”, diz logo de início o consultor Márcio Souza. Dessa maneira, o correto é fazer planejamento lá atrás para chegar em janeiro com uma melhor organização financeira. Nada pode ser feito de uma hora para outra”, alerta o consultor financeiro Márcio Souza. Ele ainda dá três dias para terminar o mês no azul. São elas:

1) Optar por pagamentos à vista

Márcio salienta que alguns tributos, como IPTU e IPVA, oferecem um bom desconto no pagamento à vista. “Caso o trabalhador tenha a quantia disponível, é mais interessante efetuar o pagamento logo ao invés de optar por um parcelamento, por exemplo”, diz o consultor. Ainda segundo ele, a mesma lógica vale para a compra de materiais escolares. “Geralmente em compras à vista o consumidor pode negociar e conseguir um bom desconto. É a melhor opção ao invés de fazer uso do cartão de crédito”, avalia.

2) Planejamento financeiro

Para atravessar o mês de janeiro no azul o consultor Márcio Souza salienta a importância de ter um planejamento das finanças controlado. “É preciso que as pessoas criem o hábito de poupar”, diz. Na visão de Souza, muita gente tem uma ideia equivocada sobre economia. “Creio que a maioria pensa que só consegue poupar quem ganha mais, o que é um erro. A economia não está ligada ao volume de dinheiro, mas sim ao desejo de realizar algo”, explica.

Dessa maneira, ele orienta que as pessoas estipulem metas a médio e longo prazo. “Tendo algo em mente, isto é, um objetivo traçado, o caminho se torna mais fácil. Comece devagar, juntando o que puder por mês. Em breve você terá uma reserva para emergência ou até mesmo para segurar as despesas de início de ano”, afirma.

“Pague-se primeiro”

Outro conselho que Márcio dá diz respeito a um conceito econômico. “É importante que as pessoas “se paguem” primeiro antes de começar a pagar as contas. Inverter a lógica”, salienta. Márcio explica que o conceito é bem simples: reservar uma pequena quantia por mês antes mesmo de iniciar o pagamentos dos famosos boletos. “É preciso criar esse hábito e a partir dele ir juntando mês a mês o que puder. Ao final do ano, certamente a quantia economizada pode surpreender e auxiliar em outros projetos”, afirma.

Fonte:Portal Infonet

Compartilhar Publicação